Search

RESILIÊNCIA

Updated: Feb 14, 2020










“Pessoas que têm a capacidade de enfrentar problemas, aprender com as derrotas e crescer emocionalmente.”

A boa notícia, no entanto, é que resiliência é uma habilidade. E, como tal, pode ser treinada e desenvolvida em qualquer fase da vida.


Obstáculos, derrotas, tropeços tem que ser entendidos como

parte do caminho.


O principal objetivo da resiliência não é restaurar o passado, não

é se esquivar de problemas, não é ser invencível.


É simplesmente propiciar condições de melhorar continuamente,

aprendendo com os erros e mantendo o seu propósito enquanto

você se adapta a qualquer situação que apareça.


O principal objetivo da resiliência não é restaurar o passado, não

é se esquivar de problemas, não é ser invencível.


É simplesmente propiciar condições de melhorar continuamente,

aprendendo com os erros e mantendo o seu propósito enquanto

você se adapta a qualquer situação que apareça.


Podemos ficar filosofando dias e dias sobre resiliência, mas, objetivamente resiliência é essa capacidade de COMEÇAR DE NOVO, de não desistir.


Inúmeras vezes, a resiliência é o que temos para sobreviver.


Se considerarmos que a pobreza é irmã da falta quase que permanente de oportunidades na vida, o mundo é resiliente.


Mais de 1,9 bilhão de pessoas, ou 26,2% da população mundial, viviam com

menos de 3,20 dólares por dia em 2015. Cerca de 46% da população mundial vivia

com menos de 5,50 dólares por dia. (ref: Banco Mundial - Poverty and Shared Prosperity -

2018).


A pergunta que não quer calar é: você conseguiria viver com essa renda, ou seja em

condições sub-humanas e ainda assim acordar todo dia e ir à luta?


Meu amigo, é difícil demais. A capacidade de recomeçar, base da definição de resiliência é

exercida diariamente por “apenas” quase metade da humanidade.


Ali, naquele ambiente sem opções, a única opção é a resiliência.


Mandela era resiliente; Gandhi idem e Sthepen Hawking, nossa!


Aquele rapaz do posto de gasolina que estudava no banheiro e passou com louvor em

Medicina e que tanto nos comoveu aqui no Linkedin, bota resiliente nisso!


Como sou otimista (um subset necessário aos resilientes) e aterrissando aqui no Brasil, com essa tamanha resiliência que vimos aprimorando desde 1500, imaginem se oferecermos condições mínimas para que a nossa legião de resilientes avance em suas conquistas, em que país podemos nos transformar.


Resilientes com acesso à educação, trabalho e saúde transformam uma nação. Resilientes sem saída lutam até o esgotamento.


Para terminar, um trecho do espetacular samba de Vanzolini, "VOLTA POR CIMA":


“Ali onde eu chorei

Qualquer um chorava

Dar a volta por cima que eu dei

Quero ver quem dava...

... Reconhece a queda

E não desanima

Levanta, sacode a poeira

E dá a volta por cima”


Claro que resiliência é têmpera, é equilíbrio, é garra; mas, bem que os outros 54% poderiam

ajudar essa gigantesca parcela da humanidade.


Sabe o que falta?

Muita atitude, mas, talvez a primeira delas deva ser uma antiga e enfática

recomendação cristã: ama o próximo como a ti mesmo! Amai-vos uns aos outros.


Sem o amor traduzido em ação não nos transformamos nada. Até podemos nos comover com o vídeo do Médico sem Fronteiras, mas logo nos permitimos cair naquela roda-viva que entendemos massacrante e nos justificamos.


Vamos lá. Vamos aprender a ser resiliente.


O BRASIL RESILIENTE PEDE PASSAGEM


Mais de 1,9 bilhão de pessoas, ou 26,2% da população mundial, viviam com menos de 3,20

dólares por dia em 2015. Cerca de 46% da população mundial vivia com menos de 5,50 dólares por dia. (ref: Banco Mundial - Poverty and Shared Prosperity - 2018).


A pergunta que não quer calar é :

Você conseguiria viver nessas condições sub humanas e ainda assim

acordar todo dia e ir à luta?


A capacidade de recomeçar diariamente do nada é exercida

diariamente por “apenas” quase metade da humanidade.


Ali, naquele ambiente sem opções a única opção é a resiliência... É o duro

recomeçar a cada dia e sem perspectiva alguma.


Sthepen Hawking, resiliência na veia!


Aquele rapaz do posto de gasolina que passou com louvor em Medicina na USP e que tanto nos comoveu aqui no Linkedin, bota resiliente nisso!


Edu Lyra da GERANDO FALCÕES, exemplo de luta e vitória.


Como sou otimista (um subset  dos resilientes) convido meus oito

leitores à seguinte reflexão: 


Com essa  resiliência que vimos aprimorando desde 1500,

imaginem em que país podemos nos transformar se criarmos

condições mínimas para que a nossa legião de resilientes avance em

suas conquistas.


Resilientes com acesso à educação, trabalho e saúde transformam

uma nação.

1 view0 comments

Recent Posts

See All